strong, b { font-weight: 700; } -->
--- menu fixo original ---

[RESENHA] O Menino do Alto da Montanha, de John Boyne


John Boyne fez um sucesso estrondoso com O Menino do Pijama Listrado que, apesar de na época ter ficado com muita vontade de ler, acabei passando esse tempo todo com ele preso na estante. Mas a vida dá muitas voltas e outro livro do Boyne acabou parando nas minhas mãos (obrigada, Cia! <3). O Menino do Alto da Montanha também é ambientado por volta da Segunda Guerra Mundial e também conta a história de um menininho.

Pierrot nasceu em Paris, porém é filho de um pai alemão, amargurado com a derrota de seu país na Primeira Guerra mundial, e uma mãe francesa. Por uma tragédia do destino, logo cedo o garotinho fica órfão e, durante um tempo, chega a morar com o seu melhor amigo Anshel. No entanto, o que fica claro para o leitor e não tão claro para o pequeno Pierrot, é que Anshel vem de uma família judaica. E quando as doutrinas de um cara chamado Adolf Hitler começa a ganhar voz e presença nas ruas de Paris, a mãe de Anshel decide que é hora de enviar Pierrot para um lar mais adequado e seguro para um menininho de descendência alemã.

Assim, o garoto é enviado para um orfanato, onde acaba não passando muito tempo, já que uma tia distante entra em contato e diz que vai cuidar de Pierrot. Esta tia mora em um casarão no alto de uma montanha, em Berghof na Áustria. Casarão este cujo o dono é o próprio culpado por afastar o menininho da única família que conhecia. Neste lugar, seu nome acaba sendo alterado para Pieter, já que Pierrot é francês demais para a casa de Adolf Hitler.

O Menino do alto da Montanha é dividido em três partes: a primeira narra toda a infância de Pieter/Pierrot antes da eclosão da Segunda Guerra Mundial, antes do Nazismos se fortalecer; a segunda mostra toda a transformação do garoto ingênuo e bondoso em um discípulo de Hitler, além de contextualizar com a ascensão do Nazismo no mundo e a eclosão da Segunda Guerra; e a terceira mostra toda a decadência. John Boyne nos faz nos apaixonar por Pierrot com as primeiras páginas, a nos frustrar na metade do livro e quebrar nossos corações em milhões de decepções com Pieter.

Resta saber qual é o mais triste, perturbador e frustrante, O Menino do Alto da Montanha ou O Menino do Pijama Listrado.



CONVERSA

0 comentários:

Postar um comentário

Voltar
ao topo