-->

[RESENHA] Arena 13, de Joseph Delaney


Em Midgard, alcança o sucesso, dinheiro e fama aquele que se transformar em dos maiores lutadores da Arena 13, onde a luta só termina quando há derramamento de sangue. Nesta arena - que lembra o Coliseu, anfiteatro em que eram executadas lutas entre gladiadores - podem ser realizados combates entre um lutador mag e um lutador min.  Nos primeiros cinco minutos, os guerreiros mag lutam atrás de três lacs e os mun, atrás de apenas um lac.

Mas o que é um lac? Isso não fica muito bem explicado neste primeiro volume do que será uma trilogia, mas tenho uma teoria em que acredito fortemente (ainda mais depois de algumas cenas intensas do final deste livro). As informações que o livro passa é que Lacs são como máquinas, criadas à semelhança dos humanos, que possuem uma linguagem de programação própria, chamada Nym, com a qual é possível programar sequências de sons  - muitos guerreiros batem o pé no chão para ativar uma sequência - que correspondam a um movimento de luta.

A minha teoria é que, na verdade, esses lacs são criados a partir do corpo e da mente de pessoas que foram sequestradas ou mortas pelo Hob, a criatura mais poderosa dos djinnis (um protótipo mais avançado dos lacs) que se rebelaram no passado, provocando uma guerra entre os humanos. Quando os humanos foram derrotados, todos os sobreviventes foram aglutinados em Midgard, que passou a ser governada por Hob.
"Talvez não estejamos prontos para governar a nós mesmos, que dirá este mundo... Mas vou te dizer uma coisa: se não governarmos, então, outros governarão.." (p. 195)

Esse universo tão complexo e criativo vai ser mostrado a partir da história de Leif, um adolescente que saí de uma cidade do interior do país para tentar realizar seu sonho (e sua maior vingança) de se transformar em um dos maiores lutadores da Arena 13. Leif, então, vai tentar de tudo para conseguir ser um dos discípulos de Tyron, o maior modelador de Nym (traduzindo, o maior programador da linguagem Nym).

Apesar de ter um contexto altamente criativo, diferente, com uma temática que me foi muito instigante, confesso que logo nas primeiras linhas me vi um pouco decepcionada, pois esperava uma narrativa mais densa. Essa minha expectativa provavelmente foi culpa de nunca ter lido nada do Joseph Delaney, autor que ficou conhecido pela série Caça-feitiço, a qual acredito que tenha a mesma linha de narrativa - mais voltada para o público juvenil.

Arena 13 é um livro bem sangrento - levando em conta que é voltado para um público mais jovem - que possui um leve, mas muito leve, toque de romance que não é desenvolvido. E mesmo não tendo encontrado uma narrativa mais O Aprendiz de Assassino e Guerra dos Tronos, o final conseguiu me deixar de estômago embrulhado. Este primeiro livro não foi o melhor e mais marcante livro de fantasia que já li, mas com certeza estou muito curiosa para saber o que vai acontecer nos próximos dois livros.


CONVERSATION

3 comentários:

  1. Oi, Babi! Como vai?
    Eu havia gostado muito da premissa desse livro na primeira vez que o vi, mas por algum motivo acabei perdendo o interesse nele.
    Com a sua resenha, voltei a ter vontade de lê-lo. Espero que eu consiga poder ler logo :3

    Abraços!

    -Ricardo, Blog Lapso de Leitura

    ResponderExcluir
  2. Olá,
    Estou vendo algumas resenhas bem divergentes desse livro, mas fiquei muito curiosa com a premissa e vou pegar ele para ler em breve.
    Adorei o blog ♥
    Bjs e uma ótima noite!
    Diário dos Livros
    Siga o Twitter

    ResponderExcluir
  3. Oi Babi, me falaram que o livro decepciona por ter sido lançado pelo selo adulto da record. Mas se ele é mais teen e mesmo assim consegue entreter acho que vou curtir! ^^

    Beijos,
    Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir

Voltar
ao topo