-->

[RESENHA] Trama, de Michael Jensen e David Powers King



Que livro cheiroso! Ok, meio inusitado começar uma resenha assim, mas meu livro de Trama, criado e escrito por Michael Jensen e David Powers King, veio com um cheirinho tão bom que foi inevitável.

Trama tem um enredo bem original, em que o mundo é formado por várias linhas que vão unindo cada coisa, animal, plantas e pessoas, como se fosse um grande tapete trançado. Neste mundo, existe aqueles que podem manipular esses fios da Grande Tapeçaria, que são os chamados Urdidores, uma espécie de magos que conseguem unir o destino de duas pessoas, fazer ilusões, controlar objetos sem tocar, entre outras coisas, somente puxando um fio aqui e outro ali.

Apesar do enredo ser bem diferente e criativo, o desenrolar da história é bem previsível o que é de se esperar de um livro que é mais voltado para um público infanto-juvenil. Nels é um camponês que sonha em se tornar cavaleiro do reino de Avërand, porém sua mãe nunca permitiu que o jovem fosse à aldeia de Vila das Pedras participar das seleções de cavaleiros organizadas pela família real. Até que um senhor estranho acaba instigando Nels a acompanhá-lo até a aldeia durante as festividades. Na verdade, este senhor é Ickabosh, um dos maiores Urdidores de Avërand, que acaba manipulando os fios para que a situação se apresente favorável para que Nels desobedeça sua mãe.

"- O que você e eu chamamos de realidade não passa de linhas intermináveis que compõem o tecido do nosso mundo. A Urdidura nos permite remendar o tecido, de modo que ele possa continuar a ser tramado sem obstrução." (p. 108)

Na aldeia, o jovem acaba se encantando com a princesa Tyra, mas não demora muito para a princesa se mostrar mimada, então os dois começam a se estranhar e a brigar um com o outro. Para a infelicidade de Nels, ele descobre que naquele ano não será recrutado nenhum novo cavaleiro e ele volta para casa muito arrependido de ter desobedecido sua mãe. De volta à casa, Nels estava cortando lenha para a lareira quando um desconhecido aparece e o assassina. E ISTO NÃO É SPOILER. Acontece que o jovem vira um fantasma e ele acaba descobrindo que a única pessoa que consegue vê-lo e conversar com ele é a tal da chata da princesa Tyra.

Eu pensei que fosse detestar a Tyra com todas as forças por ela ter se mostrado, no início, uma jovem muito mimada de narizinho em pé. Mas conforme fui avançando na leitura, descobri em Tyra uma menina valente e leal. Ainda sim, as partes da história que gostei mais foram quando a princesa agia de forma irritante, pois gerava muitas brigas engraçadas entre ela e Nels. Trama, apesar de mostrar alguns clichês bem batidos, é um livro muito divertido que acaba te conquistando pelos personagens e pela narrativa leve. E quando a ação começa fica quase impossível deixar o livro de lado, você vai chegar na metade do livro e não vai querer soltar mais.


CONVERSA

0 comentários:

Postar um comentário

Voltar
ao topo