-->

[RESENHA] OUTLANDER: A Libélula no Âmbar, de Diana Gabaldon



Para quem não sabe, este é o segundo livro da série Outlander. Caso você não queira se arriscar com  spoilers (o que eu vou entender totalmente) você pode conhecer o início dessa história com a resenha de Outlander: A Viajante no Tempo.


Depois de Jamie conseguir escapar da morte certa nas mãos do peçonhento Jack Randall, ele e Claire fogem para um mosteiro na França. É nesse contexto que terminamos A Viajante no Tempo, certo? O que explica o porquê de eu ter ficado totalmente desorientada ao começar a ler A Libélula no Âmbar, que não só não começa com a Claire narrando tudo como nosso narrador é um personagem bem (mas bota bem nisso) secundário. Roger aparece apenas uma única vez no início do primeiro livro e é impossível evitar que a pergunta "Mas-what-a-fuck-quem-é-isso?!" fique piscando na sua mente ao longo das primeiras páginas. Essa estratégia só mostra o quanto a autora melhorou sua narrativa neste segundo livro da série, é bem perceptível que os capítulos foram muito mais pensados, organizados e elaborados.

Mas um detalhe que meu TOC não gostou no início de A Libélula no Âmbar é que a narrativa está dividida entre os pontos de vista de Roger e da Claire, sendo que o dela é destacado em itálico e com uma margem maior. Só que ao longo das páginas essa divisão acaba sendo deixada de lado e passa a ser feita apenas pulando uma linha - o que, para mim, ficou muito menos confuso. Outra coisa me deixou meio perdida foi a quantidade de personagem. Demorei muito para gravar quem era quem e ainda sim, ao chegar no fim do livro, percebi que tinha confundindo um personagem com outro e passei o livro todo achando que ele tinha morrido. Mas tá tranquilo, tá favorável, não foi um detalhe que tenha atrapalhado tanto a leitura.

"Embora não tivesse lutado com a espada ou adaga, havia lutado muitas vezes com as mãos e a força de vontade, atravessando o caos da morte somente porque não havia outra escolha. E isso realmente deixava aquela sensação estranha de distanciamento; o cérebro parecia erguer-se acima do corpo, avaliando e instruindo com frieza, as vísceras obedientemente subjulgadas até a crise passar. Era sempre algum tempo depois que os tremores começavam." (p. 665)

A Libélula no Âmbar se passa 23 anos depois de A Viajante no Tempo, com Claire de volta ao seu presente, isto é, em 1968 (1945 + 23 anos= 1968; olha como eu to ficando boa em matemática, gentche!) e descobrimos que ela teve uma filha (e a gente achando que ela era estéril). Brianna é uma menina, não péra, é uma mulher de 20 e tantos anos, alta, ruiva, de nariz alongado e que sorri sempre que alguém lhe faz um carinho durante seu sono. Oh, meu deus! De quem será que ela é filha, de Frank ou de Jamie? (sshhh! É segredo!). E logo nesse início percebemos que a Claire tá fazendo algum tipo de jogo com a Brianna e o Roger, um jogo para preparar o terreno e contar a eles as suas aventuras nas Escócia de 1743. Agora vocês irão me perguntar: "Mas o que o Roger tem a ver a com essa história?"; e eu vos responderei "Leiam o livro :0)".

Neste livro, os apaixonados de plantão não vão ficar tão contentes, pois as cenas de romance, declarações, sexo foram bem reduzidas em relação ao primeiro. Em A Libélula no Âmbar o foco fica na parte histórica. Em certo momento da história, nós saímos do presente e voltamos ao passado, no qual Claire e Jamie tentam persuadir o herdeiro da Casa Stuart, Charles Stuart, para desistir da ideia de fazer uma revolução junto aos jacobitas e retomar o trono da Escócia (que estava sob o poder do Rei da Inglaterra). Tudo isso porque Claire conta o futuro para Jamie e ambos passam a querer salvar todos aqueles que amam e se preocupam da chacina que aconteceu durante a Batalha de Culloden. O casal vai ao estremo em busca de seu objetivo (não serão apenas simples correspondências roubadas da Casa Stuart) ao mesmo tempo que tentam proteger um ao outro.

"- E você esteve na França - murmurou Roger como se falasse consigo mesmo, ainda que me examinando atentamente. O choque que se via em seu rosto desfazia-se, dando lugar à conjectura e uma espécie de empolgação - Não creio que tenha conhecido... - Sim, conheci - disse a ele - Foi para isso que fomos a Paris. Eu contara a Jamie sobre Culloden, a Conspiração de 1745, e o que iria acontecer. Fomos para Paris para tentar dissuadir Charles Stuart." (p. 92)

Como os dois pretendem se aproximar do herdeiro do reino escocês, acabam indo morar na França - na casa de um primo de Jamie-, já que Charles está em terras francesas a procura de banqueiros e nobres que queiram financiar sua rebelião. Por isso a maior parte do livro se passa em Paris durante festas e banquetes da nobreza. Mas não se enganem achando que a nossa querida Diana Gabaldon vai descrever apenas a exuberância e riqueza das famílias nobres, ela também vai nos narrar o fedo da maioria que não tomava banho e nem se depilava, dos lixos largados na rua e dejetos jogados pela janela. Um grande tapa na cara dos romances históricos que tendem a embelezar uma época que realmente deve ter sido uma tortura para olfatos sensíveis.

E apesar de ter curtido muito A Libélula no Âmbar, fiquei um pouco triste já que meu personagem favorito do primeiro livro, o  Murtagh, não aparece tanto neste segundo. O coitado só aparece para presenciar cenas trágicas ou ajudar Jamie em tarefas que podem custar a vida de todos os personagens. Em compensação, surge um novo personagem neste segundo livro que foi o grande responsável por muitas das gargalhadas que dei durante a leitura, o Fergus, um pequeno órfão francês criado em um prostíbulo. 

CONVERSATION

20 comentários:

  1. Oii, tudo bem?
    Eu li a resenha do primeiro e vim ler a segunda, não resisti, fiquei bem contente pelas novas coisas que irão acontecer no segundo, eu tenho muito interesse neste livro a algum tempo já. O nome do teu blog é encantador, minha altura hahahahahhahahah
    Beijinhos ❤

    ResponderExcluir
  2. Olá; eu tenho muita vontade de ler essa série, parece ter vários itens que me agradariam (assim como os personagens, pelas resenhas que já li), eu gosto de tramas que envolvam viagens no tempo. Gostei da resenha.

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem?

    Eu estou louca para ler esse livro. Bem, esse e o primeiro que ainda não tive a oportunidade de ler. Sua resenha está encantadora e me deixou babando pelo livro. Que pena que seu personagem favorito do primeiro livros não tenha tanto destaque nesse. Rever personagens é tão bom...

    Beijos,
    Dai | www.cheirodelivronacional.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma pena mesmo, mas tenho esperanças de que ele vai aparecer mais nos próximos *dedos cruzados*

      Excluir
  4. Olá, sempre vejo ótimas críticas em relação a essa série. Quero muito conferir!
    Parabéns pelo blog e pela resenha...gostei bastante ;)

    Beijokas da Quel ¬¬
    Literaleitura

    ResponderExcluir
  5. Eu li o livro 1, não solicitei o dois na parceria com a editora, pois fiquei com receio do tempo, pois é um livro grande e que exige mais do leitor, coisa que amo. Estou curiosa para saber de quem vai ser a filha, gente esse triangulo amoroso é ótimo. Fiquei curiosa também com o Fergus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. REalmente, não tem como nem dizer "não que isso, não é tão grande assim", porque é grande SIM hahahha Mas eu pelo menos não vi muito as páginas passarem e adoro quando isso acontece :B

      Excluir
  6. Já escutei muito sobre a serie de tv, mas nao sabia dos livros. Agora quero demais ler as obras, yey! :D E que capa poetica, tao linda! <3
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredita que essa foi a que menos gostei?

      Excluir
  7. Eu amo essa série. Pra mim, esse segundo volume é o mais triste, por conta de tudo que acontece no enredo. Estou começando a leitura do terceiro e muito animada!

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você achou triste? Eu achei meio ok, achei mais interessante pelo lado história e mais engraçado que o primeiro também. Até hoje lembro da cena do Jamie, logo depois da batalha, fazendo aposta se ele ia conseguir mirar o xixi em uma garrafa (a parte que me faz rir não é exatamente essa, mas não quero soltar algum spoiler da piada).

      Excluir
  8. Olá!

    Eu não li esses livros, mas minha colunista resenhou eles, e ela amou tb! Gostou mais do primeiro.
    Eu quero muito ver a série, pois para ler esses livros imensos, com a correria do dia a dia e as outras leituras de parceria fica complicado... Mas morro de vontade!

    Bjus
    Blog Fundo Falso

    ResponderExcluir
  9. Barbara tudo bem, Outlander é uma série que quero muito ler, mas sempre deixo para depois por conta do tamanho, mas sei que a história é ótima, todos os meus amigos recomendam, e sua resenha está ótima. Torce para eu conseguir iniciar essa série. Bjkas

    ResponderExcluir
  10. oi, tudo bem?
    eu já li o primeiro livro e AMEI! Jamie virou um dos meus maridos literários no ato! Ainda não li A libelua no âmbar, mas pretendo ler ainda no primeiro semestre, antes de sair a segunda temporada do seriado. Eu já tinha ouvido falar que agora a série vai seguir um viés mais histórico, então estou preparada

    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Que agonia ler um capítulo inteiro,ou vários em itálico,rsrs. Enfim,a história me chamou atenção,acho que o leria de boa.Gostei da sua resenha.
    Abraço;

    http://estantelivrainos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  12. confesso que sou meio assustada com o tamanho desses livros da série xD
    não cheguei a ler o primeiro, mas conheço a premissa... até que me soou interessante, mas o problema é falta de tempo pra ler mesmo...
    gosto de histórias quem tenham relação com o Tempo...
    bjs...

    ResponderExcluir
  13. Hey,
    Ainda não li o primeiro livro, só assisti à série, mas gosto muito, então pretendo ler todos os livros.
    Como não me importo muito com spoilers eu li a sua resenha. É realmente muito confuso quando um livro começa dessa forma, meio desconexa com o anterior. E é uma pena mesmo isso de as cenas de romance, sexo e declarações diminuíram em relação ao primeiro (acho que estou com os românticos, então). Mas quero muito ler mesmo.
    Beijos,
    Dois Dedos de Prosa

    ResponderExcluir
  14. Adorei suas resenhas! Amo a série e após assistir o último episódio, comecei a fuçar pra ver o que vai acontecer, já que eles voltaram pra Escócia e aquela bandida da Laoghaire reapareceu! Enfim, te encontrei com esse maravilhoso blog! Parabéns!

    elavestepreto.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Voltar
ao topo