strong, b { font-weight: 700; } -->
--- menu fixo original ---

[RESENHA] Na ponta dos pés, de Brandy Colbert

Para quem olha essa capa espera encontrar Na ponta dos pés, um romance leve, quem sabe, até com  toque de drama. Não vou dizer que quem tem essa primeira impressão está enganado, mas com toda a certeza essa história é muito mais intensa do que esse gênero pode nos proporcionar (e olha que existem muitos que mexem profundamente com muita gente).


A minha primeira impressão foi exatamente essa, mas o que me fez querer pegar esse livro e conhecer suas personagens foi o mistério que a sinopse apresenta. Claro, que o fato da personagem principal ser uma devota da dança já me deu algo do que gostar da historia da Brandy Colbert.

Theo é uma menina que sonha em se tornar uma bailarina profissional, mas sua dedicação e seu sonho começam a ser abalados quando Donavan, seu melhor amigo de infância, é resgatado do cativeiro onde passou os últimos quatro anos. Abalada com a volta de seu melhor amigo, Theo começa a se recordar da época em que ele desapareceu e de como eram suas vidas. Algumas lembranças podem ser muito dolorosas e põe em xeque se a bailarina teve alguma parcela de culpa no sequestro de Donavan.

Como se isso já não fosse perturbador o bastante para a cabeça de Theo, Hosea Roth - o descoladão do seu colégio, e cá entre nós um gostosão de tirar o fôlego - começa a substituir a pianista de suas aulas de ballet. E como se concentrar nas aulas com todas aquelas trocas de olhares? Ver a reciprocidade de seus sentimentos traz pensamentos bons no meio de tantos pesados, mesmo sabendo que Hosea é comprometido e que se envolver com ele seria como se jogar de um precipício,

Um precipício que para Theo vem por meio de um transtorno alimentar. Sua primeira recaída veio com o sumiço de Donavan e acabou resultando em uma internação durante as férias de Theo. Mas agora, com a volta de seu amigo, o sentimento de culpa, seu relacionamento com Hosea e sendo chamada para depôr contra o sequestrador de Donavan, tudo na sua vida parece fora de controle e sentir o estômago roncar de fome lhe permite ter a sensação de que alguma coisa pode controlar. Assim, Theo volta a comer cada vez menos tomando o cuidado para que ninguém perceba que seus antigos hábitos estão retornando.

A anorexia, o sequestro não são os únicos temas desse livro. Brandy Colbert também fala de Síndrome de Estocolmo, estupro, abuso sexual infantil, traição e muito mais. Temas que entram em contraste com a capa linda (e fofa) produzida pela V&R Editores. Além da edição estar linda, o que achei mais legal é que ao fim, encontramos uma nota do editor informando que se você sofre com qualquer um dos problemas apresentados você pode pedir ajuda e ainda informa algumas instituições que tratam de transtornos alimentares nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.

Se você não leu esse livro mas se identificou com alguma parte da história e precisa de ajuda, saiba que há pessoas para segurar sua mão e te apoiar. Caso você sofra ou saiba de alguém que sofra abuso sexual você pode denunciar! Existe um telefone que recebe denúncias de abusos infantil e atende todo o Brasil, é só discar 100. Você também pode procurar as Varas da Infância e da Juventude, as Delegacias de Proteção à Criança e ao Adolescente e as Delegacias da Mulher.

As instituições que tratam de transtornos alimentares informados no livro são:





CONVERSATION

14 comentários:

  1. Que livro é esse...? QUERO LER! Pelo capa parece tão leve, sei lá, um livro que fale apenas sobre dança e que seja fofinho (talvez?), mas depois de ler sua resenha meu queixo caiu!
    Ótima resenha!
    Beijos,
    cabanadosanjos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Olha eu não sei se pegaria esse livro para ler, porque ele trata de assuntos bastante pesados.
    Mas mesmo assim achei a história interessante e é capaz que eu venha ler mais pra frente, mas gostei da maneira como desenvolveu a sua resenha. Espero que seus leitores gostem, mas para mim por agora eu acho melhor eu não ler esse livro, pois estou no momento de leituras mais leves sabe? Enfim...


    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/07/resenha-o-para-sempre-de-ella-e-micha.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu super entendo, Silvana! Eu gosto desses livros com temáticas mais sérias, mas tenho lido tanto deles que to sentindo que preciso ler alguma coisa mais leve para sair dessas leituras meio tristes e tal

      Excluir
  3. Olá!
    Quando vi a capa e o que você escreveu sobre ser uma história intensa, me lembrei de Cisne Negro.
    Essa história parece tão intensa e marcante quanto o filme.
    Confesso que fiquei bastante curiosa para ver como um tema tão delicado como esse foi desenvolvido.
    Ótima resenha!
    Beijos.

    Li
    Literalizando Sonhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, esse filme é fantástico! Com certeza Na ponta dos pés é bem intenso e marcante, mas acho que não tem uma cena que barre a cena da pele do dedo da Natalie Portman sendo arrancada. =s

      Tenho arrepios só de lembrar dessa cena.

      Excluir
  4. Oiiie
    Quem diria que pela a capa e titulo o livro teria uma temática TÃO intensa e forte. MEU DEUS :O eu realmente adoreiiiii, preciso desse livro.
    Adoro quando um autor tem a coragem de abordar temas tão pesados e que de uma forma ou outra é está tão presente na vida real de muitas pessoas, o que realmente é triste.
    Amei a sua finalização na resenha.
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, é triste pensar que é um livro de ficção, mas que é uma ficção real para muita gente :/

      Excluir
  5. Oi Babi, tudo bom?
    Realmente, essa edição está maravilhosa. Também recebi o livro, porém, ainda não li. Mas sim, tive a mesma impressão que tu de que fosse uma leitura super leve. É bom que não seja assim, eu acho. Ou a leitura é leve e apenas trata de temas pesados? Enfim...
    Estou super ansiosa pela leitura. Beijos!
    http://www.entreleitores.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jeeeess, a narrativa é em primeira pessoa e na maior parte é tranquila. Mas os temas são bem pesados e o final é tipo, angustiante!

      Excluir
  6. Olá,
    O livro parece ser uma dessas obras que nos fazem refletir e que, ao mesmo tempo, são alertas. Adoro esse tipo de história, confesso que não conhecia a obra, mas já estou curiosa pela leitura. Muito bom!
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Oi Babi,
    Livro pesado, ein? É exatamente o tipo de drama que eu gosto. Aqueles que chocam, que quebram paradigmas e que, acima de tudo, são reais. Poxa, nem posso imaginar o que é ser bailarina, Theo deve sofrer só por isso. E ainda tem todas essas coisas. Só de ler sua resenha, estou torcendo para que ela não tenha culpa no sequestro do amigo. Mas sei como é se culpar por algo que você 'indiretamente pode ter praticamente feito sem querer'. É culpa e dói do mesmo jeito. Resenha linda, emocionante e me deu mesmo vontade de ler!

    Beijos,
    Mari Siqueira
    Love Lovers Blog

    ResponderExcluir
  8. Gente, que tenso. Gosto de temas pesados, mas me pergunto se esse não é até demais pra mim. Parece ter uma variedade muito grande de temas delicados numa história só, né?
    Achei interessante da parte dos editores colocar esse aviso no fim. Espero que tenha ajudado alguém!
    Beijos!
    www.blogsemserifa.com

    ResponderExcluir
  9. Nossa, quantos temas fortes! Até que esse prego na capa dá a impressão de ter algo errado, mas nunca pensaria em tantas coisas juntas. Achei muito legal você repassar as informações sobre como pedir ajuda, pode passar alguém por aqui que realmente precise delas. É um livro que eu leria.

    Beijo.

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir

Voltar
ao topo