-->

[RESENHA] Alma Celta, do Marmor

Não sei o porquê, mas quando solicite o Alma Celta de parceria com a LeYa tinha certeza de que se tratava de uma história que contaria a História do Rock Nacional, mesmo o título deixando BEM claro que se trata de um livro sobre a cultura celta. Não sei da onde eu tirei isso, mas felizmente me toquei do erro bem a tempo de não me decepcionar com a leitura.

Adorei a ideia de trazer para os leitores um projeto transmídia, com ilustrações, informações (e põe informações!), histórias e MÚSICA. E amei conhecer um pouquinho sobre essa cultura que trouxe tanto impacto para a atual literatura fantástica (explico mais para frente).

O livro é formado por uma gigantesca apresentação feita pela pesquisadora Rowena Arnehoy Seneween que vai trazer informações sobre o povo, a história e a mitoligia celta. Por um romance, escrito por Eduardo Amaro, que narrará um episódio da mitologia dessa cultura e por um CD.

O povo celta era formado por grupos de diversas tribos, como os gauleses, irlandeses, gálatas, belgaes, celtiberos (essa palavra sempre me lembra do Kerberos, de Sakura Card Captors. Vai entender), bretões e lusitanos que viviam ao norte europeu, como na atual Irlanda e Escócia. Cada tribo tinha sua cultura e mitologia, mas em todas é possível verificar pontos muito semelhantes, principalmente entre os deuses e as festividades.

No caso da mitologia que envolve as terras irlandesas ficamos sabendo na apresentação do livro que vários povos invadiram e tomaram conta dessas terras, mas um que ganha destaque é a tribo da deusa Dana que eram considerados seres divinos, imortais e que introduziram na Irlanda a ciência, a magia, as crenças sobre fadas e o druismo (celtas com o dom da profecia e que conseguiam entrar em transe para contatar o Outro Mundo  - onde os deuses viviam e tudo era belo e jovem). Essa tribo era chamada de Tuatha Dé Danann.

Os Tuatha Dé Danann eram possuidores de quatro tesouros mágicos: a Pedra da Soberania, que ao ser tocada profetizava quem seria o próximo a governar a Irlanda (também chamada de Ilha Verde); a Lança da Realeza, que seria invencível; a Claiomh Solais ou Espada da Vitória, que quem a portasse também seria invencível; e o Grande Caldeirão de Dagda ou o Caldeirão da Abundância, que dentro possuía alimento que nunca acabava.

Portando esses tesouros a tribo conseguiu reinar durante muitos anos na Irlanda, até que Ith - que pertencia ao grupo milesiano, descendentes de Mil Espaine e originais da atual Península Ibérica - resolve fazer uma visita a Ilha Verde e por um mal entendido acaba assassinado pelos reis de Danann. Então, os seguidores de Ith levam seu corpo de volta à Península, os milesianos resolvem se vingar e partem em batalha contra os Tuatha Dé Danann, conduzidos pelo druida Amergin. É essa batalha que o romance do livro vai abordar.

Conhecer um pouquinho da cultura celta me fez perceber que é uma grande fonte de inspiração para autores da literatura fantástica. Por exemplo, na mitologia galesa existe um deus da guerra chamado Bran que era associado aos corvos. Isso te lembrou alguma outra história? Talvez uma história que começa "Crônicas" e termina com "de Gelo e Fogo"? E que tal os tesouros mágicos dos Tuatha Dé Danann, alguns não lembram uns tesouros da história da tia J. K. Rowling? Pois é. E as semelhanças não param por aí.

Apesar de ter gostado bastante de conhecer os deuses e lendas celtas, a parte do romance não me prendeu e por isso demorei bastante para ler um livro de apenas 154 páginas. Quando finalmente me vi envolvida com os personagens e com a história, o livro acabou. Acredito que o atraso da minha leitura aconteceu por não ter curtido muito estilo da narrativa. Muitos parágrafos são formados por apenas um período o que não gera um ritmo de leitura e tenho que dizer que algumas partes precisam ser revisadas.

Outra coisa que acabou quebrando o ritmo de leitura foram as notas. Ao invés de estarem no rodapé estão todas no final do livro, por isso sempre quando aparecia um número indicando que havia mais informações sobre aquela passagem, eu tinha que ir até o final do livro, ler e depois retornar à história. Tenho a impressão de que a história também se tornaria mais clara e menos confusa se algumas explicações que estão na apresentação também estivessem sido abordadas ao longo da narrativa.

Em contra partida, amei as ilustrações do Gabriel Fox! Em especial essa que acredito que passa exatamente o clima da história:


Clique na imagem para ampliar.

Também adorei o CD que vem junto e que possui músicas que te ajudam a entrar no clima do mundo celta. As músicas tem um estilo meio metal melódico que me fez ficar nostálgica da minha época rebelde, de cabelo rosa e que só escutava bandas como a Épica, Nightwish, Xandria e a cantora irlandesa Hayley Westenra. Curiosamente, ao terminar de ler o livro resolvi ler o texto da orelha e descobri que o idealizador do projeto Marmor (grupo de pessoas que participaram da produção do livro e do CD) Marcelo Moreira já tocou com a banda Epica!

Gostei muito das vozes masculinas, principalmente do Rodrigo Gnomo que é bem rasgada. Adoro vozes assim! Já o vocal feminino curti mais a voz da Claudia Barron (acho que é ela, no livro não fica claro quem canta cada música) por sentir uma maior potência. Perceberam que gosto de vozes fortes e marcantes, certo? Agora falando um pouco sobre as músicas que gostei, a From my heart e Morning light serveriam muito bem para abertura de desenho, como animes. Gostei bastante das músicas The secret sea, Crushing victory, The temple of light. Sendo esta a minha favorita, por isso vou fechar a resenha deixando vocês com ela.


No canal do Youtube do grupo Marmor você pode escutar o CD completo.

Os Marmor:



Clique nas imagens para ampliar.

CONVERSATION

10 comentários:

  1. Oi, tudo bem? Não curto esse tipo de livro mas parece ser interessante. Nunca li nada que fale da cultura Celta. Enfim, beijos!

    http://alguns-livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem interessa, como você mencionou que não constuma gostar desse tipo de livro, tente dar uma folheada em alguma livraria e vê o que acha ;)

      Excluir
  2. Olá! Achei o livro bem interessante e ri quando você falou que achava que era sobre a história do rock nacional! Quem nunca?! xD
    Adorei a resenha! :3

    http://amadoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Milena, eu realmente não faço ideia como eu cheguei a conclusão de que a história seria sobre o rock nacional hahahaha Devo ter sonhado, só pode xp

      E obrigada <3

      Excluir
  3. Meu deus, eu preciso desse livro <33 URGENTE!! Sou apaixonada pela cultura celta, pela musica e tudo. :3
    Acho que mesmo com os pontos negativos que você citou, não conseguirei de deixar de desejar esse livro.
    Você o recebeu de parceria né? Sabe onde eu posso compra-lo?
    Beijos,
    cabanadosanjos.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carla, o preço mais em conta que o Buscapé me passou é na Saraiva (R$ 23,72), o link é esse: Alma Celta, na Livraria Saraiva

      Excluir
    2. Obrigada <33 com certeza vou comprar esse livro.

      Excluir
    3. Depois vou querer saber o que achou :)

      Excluir
  4. Muito obrigado pela resenha! E lógico, muito obrigado pelos elogios. Abraços, Rodrigo GNOMO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, eu que tenho que agradecer! E parabéns pelo trabalho e pelo talento :)

      Excluir

Voltar
ao topo