-->

[RESENHA] Outros Tempos, de Leonardo Nóbrega

Outros Tempos é vendido como um livro que conta a história de homem que viaja no tempo. Foi quando bati o olho nesse trecho da sinopse que pensei "preciso ler essa história!". E minhas espectativas subiram em escalas estratosféricas ao perceber que parte do enredo é contextualizada durante a Segunda Guerra Mundial e que evolve um misterioso grupo nazista. Em resumo, uma temática bem excitante e que dá muito pano para manga, certo?



Errado. Infelizmente minhas espectativas não foram atendidas, talvez por estarem grandes demais. Mas a verdade é que tive que me empurrar pela leitura movida pela esperança de que houvesse uma reviravolta que mudasse minha ideia do livro até então.

Ulisses é um jornalista que sem saber quando nem porque viaja entre o tempo e o espaço. Um dia acorda no ano de 1942 e descobre que está envolvido em um grande mistério que levou ao assassinato de uma francesa e esse mistério pode ser o motivo de tantos outros assassinatos.

Junto com o com o personagem vamos conhecendo sua rotina, sua família, seus amigos e até ele próprio. O mistério é bem trabalhado mas acabou estragando o mote da viagem no tempo, em muitas partes os personagens estavam tão envolvidos em desvendar os enigmas que pareciam que esqueciam o comportamente estranho e constante de Ulisses, até mesmo ele parecia esquecer o próprio talento em viajar entre o passado e o futuro.

A decepção aumentou quando percebi que a parte histórica também não foi tão bem trabalhada. Fiquei esperando menções a fatos históricos que não apareceram. Em contrapartida, gostei do livro ser ambientado no Brasil, mais especificamente em Fortaleza. A descrição dos cenários me deixaram com vontade de pegar o primeiro avião para ver tudo com os meus próprios olhos.

Infelizmente a empolgação com a história começou com o mistério e terminou no cenário. Os persongens não me conquistaram, alguns apareceram muito pouco para no final ganharem destaque. Uma coisa que me deixou bem irritada na história foi o drama de novela mexicana para explicar o envolvimento do melhor amigo de Ulisses, Pedro, com o grupo nazista. Ficou bem estilo "Oh, não, Maria José! Você me traiu!, empurra a pessoa que cai dura no chão prontinha para ser levada para cova".

O final, para mim, também deixou a desejar. Entendi a intenção do autor em provocar o leitor, deixá-lo meio desconcertado. Mas ao meu ver a justificativa não ficou plausível porque [ATENÇÃO SPOILER] o enredo ficou coeso demais para ser produto da mente de uma pessoa esquizofrênica. Existem dois tipos de esquizofrênicos, os que escutam vozes e os que veem coisas, mas mesmo esses que veem você percebe que nem sempre são visões sequenciais. Pelos próprios comentários dos esquizofrênicos é possível perceber que não é um discurso coeso. Por exemplo, uma hora o esquizofrênico pode se achar um candidato politico e na outra achar que faz parte de uma facção criminosa. [FIM DO SPOILER]

Mas, hey! Você que gostou da proposta da história mas não se empolgou com a minha resenha, calma, respira e vai dar um espiadinha em outras resenhas! Afinal, muitos leitores gostaram do livro. Só porque não me conquistou não significa que não vá te conquistar ;)

Resenhas das participantes do Book Tour:
Geek & Pop
Volto para curtir



CONVERSATION

6 comentários:

  1. Ah, que pena que o autor não soube trabalhar bem essa trama. Ainda mais porque, pelo spoiler que você deu, parece que o fim seria uma reviravolta bem legal - adoro esse tipo de coisa - se bem desenvolvida, com coerência. Para dar esse tipo de final, o autor tem que deixar pistas no meio - aquele tipo de coisa que, quando você relê, pensa "putz, agora faz sentido".
    Beijos!
    www.blogsemserifa.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também adorei a ideia do final, mas é uma pena mesmo que ficou sem pé nem cabeça ;/

      Excluir
  2. É péssimo quando um livro deixa a desejar. Mas é ótimo quando uma resenha é sincera sobre o livro. Não é só de elogios que se vive um livro rsrs Criticas e sugestões também fazem bem.

    http://epilogosprologos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Super concordo! Com as críticas que a gente consegue ver onde podemos melhorar, não só nos livros mas em tudo na vida!

      Excluir
  3. Babi, não sei se leria o livro, não por sua resenha, nem pela resenhas da meninas, mas historias com volta ao tempo raramente me conquistam, assim como aqueles ditos efeitos borboletas...estou lendo um nacional tbm com esta vibe e sei lá...to meio assim.

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, Joi. Eu adorooo esses temas hahaha

      Excluir

Voltar
ao topo