strong, b { font-weight: 700; } -->
--- menu fixo original ---

RESENHA: trilogia A Seleção, de Kiera Cass

















Quando peguei A Seleção para ler estava certa que eu iria acabar me decepcionando bastante como acabei me decepcionando com Percy Jackson e Os Olimpianos. A fissura dos fãs com a série de Rick Riordan é tanta que, na hora de ler, acabei criando expectativas demais e tive medo que acontecesse a mesma coisa com a trilogia da Kiera Cass. Mas resolvi arriscar, porque estava com dificuldade de me envolver nos livros. Devo ter começado uns 3 e não consegui fazer com que a leitura fluísse e cá entre nós, eram/são livros muito bem escritos! Só que não consegui passar da metade em nenhum deles.

Então, decidi que precisava de uma leitura mais leve. Precisava de uma história adolescente, com triângulos amorosos, aventuras e que te deixa com aquela sensação de que você pode mudar o mundo. Foi aí que escolhi A Seleção.


Logo nas primeiras páginas pensei "putz, não vou gostar desse livro", achei uma mistura de Jogos Vorazes com Cinderela/Diário da Princesa. Os EUA não é mais o mesmo. Suas fronteiras foram modificadas e o governo virou autoritário. A desigualdade social virou extrema. Os ricos são muito ricos e os pobres apenas sobrevivem. Para dar chances àqueles que nada têm, um representante de cada grupo social é escolhido para participar de um jogo surreal. Resumindo, o mais do mesmo.

Mesmo assim, resolvi insistir na leitura e me obriguei  ler ao menos três capítulos. E ao chegar no terceiro capítulo a minha vontade era de vomitar. Simplesmente não estava suportando o nhénhénhé todo entre América e Aspen, um romance tão açucarado que me senti hiperglicêmica. América faz parte de uma das castas mais baixas a casta 5 e Aspen, da 6. Só que na sociedade criada por Cass, as famílias arranjavam os casamentos dos filhos como um meio de garantir a ascensão social (século XVIII, oi?). Logo, o futuro do relacionamento dos dois já começa fadado ao fracasso. O que me incentivou a continuar a leitura.

Em meio aos delírios românticos de se casar com Aspen, América se vê pressionada por sua mãe para se inscrever na Seleção, que era basicamente um concurso de miss perfeição para se tornar a futura mulher do príncipe Maxon e futura rainha. América resiste mantendo em mente o seu futuro miserável, porém feliz, ao lado do cara que ama. Até que esse cara resolve terminar com ela por se sentir um miserável ao ser praticamente sustentado por ela e não poder fazer seu papel de homem e sustentá-la (machismo, oi?Babaca, oi?).

É então que ela se vê entre as 35 participantes da Seleção. Depois de um início sofrido para mim, o livro começa a ganhar graça e a me conquistar quando América encontra as primeiras concorrentes no aeroporto. E  também quando Maxon começa a aparecer. Ao contrário de Aspen, o jeito do príncipe não me deu vontade de vomitar e quando os dois (Maxon e América) se esbarram que vamos conhecendo melhor a própria América, que até então só era uma chata reclamona.

Logo no primeiro "encontro" entre o príncipe e a selecionada da casta 5, percebemos que América é descarada, extrovertida e fala sempre o que vem à mente, pouco se importando por estar se referindo ao futuro rei. Enquanto Maxon é sagaz, divertido e cheio de respostinhas debochadas. A cumplicidade dos dois começa nesse primeiro encontro. Ao saber que América já teve um relacionamento passado, Maxon diz que não irá mandá-la embora (até que ela peça) para que possa se manter longe de Aspen e superar a dor de cotovelo. Em contrapartida, América promete passar um dossiê das garotas mais legais que estão participando da Seleção.

E então conhecemos o dia-a-dia das selecionas, como também um pouquinho de algumas mais marcantes como a Marlee e Celeste. Também nos é revelado alguns fatos que a corte e a mídia tentam abafar, como os ataques dos rebeldes. Os rebeldes são normalmente gente das castas mais baixas, como a 8. Tudo o que se sabe é que existem dois grupos diferentes e aparentemente com motivações diferentes que atacam o castelo.

Minha opinião sobre a história de Cass passou a mudar totalmente, adorei a pitada de política e as críticas sociais que surgem. Por exemplo, melhorar a educação é o suficiente para diminuir os índices de criminalidade ou é preciso algo a mais? Ainda que essas questões não sejam abordadas de forma profunda, gostei bastante e a série ganhou muitos pontinhos a mais! Mas em sua maioria é um livro divertido, que me proporcionou boas risadas e me deixou com um sentimento de leveza, tranquilidade. A mesma tranquilidade que sempre senti ao olhar a capa (linda) em tons de azul desse primeiro livro da trilogia.

Já em A Elite, o enredo é bem mais maduro e intrigante. Foram menos risadas e mais politicagens, revelações dos podres do governo e da própria sociedade - o que caiu muito bem com o tom de vermelho da capa. E só não digo que se tornou o meu favorito, porque gostei do ar brincalhão e divertido que o primeiro livro tem. O clima do segundo livro é de tensão. Muitas meninas já foram eliminadas e por mais que tente, América não consegue ficar fora da linha de risco e deixa Maxon com os nervos à flor da pele.

O relacionamento dos dois amadurece e se intensifica, até demais. Muitas cenas entre o príncipe e a estranha menina da casta 5 me irritou fortemente. Aspen continuou me dando vontade de vomitar. Então, preferi as cenas adocidadas do que as obesas demais, mas tenho que confessar que cheguei a um ponto de começar a torcer para que acontecesse alguma tragédia para dar fim às cenas dignas de Nicholas Sparks. E não é que acontece?!

Logo depois, América ganha um inimigo muito poderoso que passa a ameaçar fazer da vida dela no palácio um verdadeiro inferno. Mas cá entre nós, faltou abordar mais essa tensão no enredo. No fim, o conflito ficou igual àquele ditado "cachorro que ladra não morde".  E eu bem queria que ele mordesse. A verdade é que a indecisão da América (se é que podemos chamar de indecisão uma vez que a essa altura do campeonato todo mundo já imagina o que vai acontecer no fim) me tirou do sério.

Ninguém tem dúvidas se gosta ou não de alguém,minha querida. Se você está com dúvidas, tenha certeza: você não gosta. Então deixa o próximo da fila ter uma chance. Ou então, no fundo você é uma covarde que só está com medo de acabar sozinha e por isso prefere ficar brincando com os sentimentos dos outros. Esse era o discurso que eu já tinha preparado e decorado para vomitar em cima da América, caso ela se materializasse na minha frente.

Mas todo esse bláblábla Whiskas Sachê se arrasta até o fim de A Escolha. Uma forma, acredito, de dar sentido ao terceiro livro da trilogia - o que, para mim, foi totalmente desnecessário. A América poderia muito bem ter sua vida amorosa resolvida que ainda teriam muitas pontas para serem amarradas na história.

Durante todo livro A Elite foi trabalhado uma conspiração dos rebeldes e a sensação era de que uma grande batalha iria acontecer. E por isso passei o livro inteiro desejando que a América parasse de ficar naquela de "vou sair, não vou sair" da Seleção e se infiltrasse em algum grupo rebelde. Mas no final, a autora ficou meio que  "ok, tenho 100 páginas para terminar a história e estou aqui mais uma vez fazendo ceninha de água com açúcar entre A. e M. Vamos acabar logo com isso!" e aí a ela resolveu baixar o espírito assassino de George R. R. Martin. Nada contra, até gostei das tenções criadas no final, só achei um pouco corrido.

E apesar de ter apontado algumas questões que eu não curti/achei mal trabalhadas, eu gostei muito da trilogia de A Seleção. Foi exatamente o que estava precisando para curar a minha ressaca literária, devorei os livros como há tempos não fazia! No fundo, pode soar um pouco egoísta, acho que estava precisando sair um pouco do meu mundinho e curtir o drama e problemas de outra pessoa escritos de forma leve e divertida. Falando em divertido, alguém chegou a ler os agradecimentos da Kiera Cass ao final dos livros? Simplesmente AMEI!

CONVERSATION

19 comentários:

  1. Oi :)

    Eu virei fã dessa série e por mais que o final tenha sido corrido e alguns clichês tenham incomodado, nunca irei esquecer a série. Adoro os agradecimentos da Kiera, é tão simpática. Beijos!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela é mesmo uma fofa!! E sim, eu comentei das coisas que me incomodaram na resenha (afinal, é uma resenha), mas também acabei relevando esses pontos e curti bastante a trilogia :)

      Beijos!

      Excluir
  2. Gosto muito de A Seleção. Não digo que é a melhor trilogia, porque a Kiera teve muitas falhas na escrita ao longo dos três livros, mas não deixa de ser uma boa história.

    http://www.laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, Débora! E a Kiera não deixa de ter potencial como escritora. Escritores não nascem sabendo construir ótimas histórias, é treino. Valeu a pena leitura, gostei bastante mesmo tendo levantando os pontos que eu mencionei na resenha :)

      Beijos!

      Excluir
  3. Ainnnn Babi!!!!!! Sabe a Trilogia A Seleção é minha queridinha justamente pelos pontos que você apontou, e eu amei por isso!

    Foi bom de ler saca? leve, engraçado.
    Concordo e algumas pontinhas de A Escolha ficaram soltas e o final era digno de muito mais paginas mas acho que como um todo a trilogia foi ótima.

    Eu li os agradecimentos, essa mulher é incrível sério!? Sem contar que ela é fã de uma das minhas bandas preferidas hehehe..

    Mas então já leu os dois contos da série? O Guarda e O Príncipe? Eu tinha uma aversão ao Aspen mas quando li O Guarda passei a respeita-lo mais e somos introduzidas a entrada da Lucy na vida dele...(opa sera que falei demais?)

    Vou deixar o link aqui da minha resenha sobre este: http://www.estantediagonal.com.br/2014/05/resenha-contos-da-selecao-o-principe-e.html

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Joi! Ainda nãi li os contos, menina! To esperando uma oportunidade e vontade (não gosto muito dessas histórias paralelas, mas quero dar uma chance). Vou dar uma olhada na sua resenha para ver se a vontade aperta ;p

      Beijão!

      Excluir
  4. Eu terminei a trilogia A Seleção esse mês, e confesso que apesar de estar longe de ser minha favorita, gosto bastante dela.
    Assim como você, gosto bastante do Maxon (acho muito fofo o jeito debochado dele), e acho o Aspen... Arg. Aquele tipo de personagem que não se impõe em nada como ele me irrita bastante.
    Gostei bastante de A Seleção, mas a minha paciência com A Elite teve que ser bem grande, porque o mimimi da América estava me dando vontade de dar uns tapas nela. A Escolha fechou bem a trilogia, mas também achei estranho "o banho de sangue" repentino que a Kiera deu. E acho que ficou faltando trabalhar alguns aspectos distópicos, porque apesar de resolver bem as coisas, fica tudo muito vago.
    Mesmo assim é uma trilogia bem gostosa de se ler. As páginas passam voando, e as capas são maravilhosas.
    Adorei a resenha.
    Beijos,
    Yasmin
    deitadosnagrama.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Arg" é uma expressão que define muito bem o Aspen hahahaha

      Obrigada, Yasmin! Fico feliz que tenha gostado :)
      Achei que eu fosse sofrer com haters nessa resenha, mas até que não.

      E seja bem-vinda e sinta-se à vontade para voltar quando quiser!
      Beijos!

      Excluir
  5. Adorei sua resenha Babi, dei muuuuitas risadas enquanto lia pela forma como você se expressou kkkkk Gostei mtmtmt mesmo, espero por mais resenhas nesse estilo =)) A Seleçao é mesmo uma trilogia complicada de se falar, a gente sabe que não tem mt qualidade, mas ao mesmo tempo nao consegue largar né??

    Beijos!!
    www.vanessachanice.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, Van! É aquele tipo de livro que nem chocolate, você sabe que faz mal, engorda etc, mas não consegue ficar sem :p

      Eu tava inspirada quando escrevi essa resenha, saí falando tudo o que fui lembrando e quando parei para reler achei que tava até boa :) Mas pensei que fosse ter muitos comentários haters hahahaha (ainda bem que ainda não apareceu nenhum assim).

      Beijão!

      Excluir
  6. eu quase comprei o 3 livros de uma vez, mas foi até bom pq eu tava querendo outro e acabei encontrando no mesmo dia k, mas esses estão na minha lista ainda los lerei :)

    te seguindo, beijos :*

    byanak.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    O post ficou muito bom e me deu vontade de ler tudo de novo :( Amo todos mas o ultimo é meu favorito com certeza <3

    Beijos,
    Giovanna.
    http://sonhandocomlivros.com/

    ResponderExcluir
  8. Oi! Adorei sua resenha, super me identifiquei! Confesso que te encontrei pois terminei de ler o livro e fiquei meio revoltada e quis procurar gente que compartilhava o sentimento comigo! hehehe

    Fiquei bem decepcionada com o fim, sou super #TeamAspen e achei bem bobinha a escolha deles! No fim pareceu meio "Bella e Edward", ricos e melosos! =P Te juro que pensei que ela iria sair e se juntar aos rebeldes e quando nada aconteceu me decepcionei um pouco! Levei um susto com o banho de sangue, mas esperava mais soluções nesse assunto! Parece que terão mais livros, tomara que se resolvam as partes que se perderem no meio da indecisão da América! :)
    Beijos, sucesso!

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Amei a resenha *-*
    E já que o post é sobre "A Seleção", venho convidar para conferir meu novo post com novidades sobre a "A Herdeira", novo livro da série!!
    http://www.acervodeamor.com.br/2015/03/a-herdeira.html
    Se puder seguir o blog e deixar sua opinião sobre o post, eu retribuo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Só a até começar A Elite porque ainda não li os dois últimos, mas lendo só o começo percebi que não gostou do Aspen, mas eu sou tão mais ele do que o Maxon, acho que porque sempre torço pro casal errado kkkkkkk Enfim estou com A Elite aqui pra ler só me falta tempo. Gostei da resenha pois você foi bem sincera.

    Beijos
    http://possibilidadesinfinitasdavivis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vivian! Eu só li até a Elite mesmo, os outros dois livros eu meio que to ignorando, não acho que a autora vá abordar as pontas que eu achei que não ficaram tão bem amarradas, acho que ela vai fazer mais uma outra sessão de água com açúcar (e tenho medo de acabar encontrando um novo Aspen, blergh!). Então sei lá, to feliz em ter lido a trilogia e vai ficar por isso mesmo :)

      E nem sou muito fã do Maxon, não. Só acontece que o Aspen me dá repulsas :(

      Excluir
  11. Oi Babi!
    Eu li os agradecimentos dela e amei tb. Aliás o de todos os livros da série são bonitinhos:) Me identifiquei muito com vc por dois motivos: primeiro, também me decepcionei com Percy Jackson; segundo, odeio romance açucarado demais. Sendo assim, achei bem bacana o espírito assassino de George Martin que baixou na Kiera no final! hehe... Essa semana tá tendo um especial lá no blog, e no domingo vai sair uma promoção muito bacana pra quem gostada série. Dá uma passada lá!
    Beeeejo!

    http://maisumapaginalivros.blogspot.com.br/
    Mais Uma Página

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou correndo ver esse especial e essa tal de promoção!!! :D

      Excluir
  12. Eu concordo com vc . Do Aspem mas na metade do livro A ELITE achei a America totalmente uma "PERIGA " se é que me entendem né? E táva até com pena de Maxon mas no enredo em si achei meio terrível um pouco depois que ele fez! !!! Foi ultrajante, e clado os dois se empataram mas msmo assim "arg"

    ResponderExcluir

Voltar
ao topo