strong, b { font-weight: 700; } -->
--- menu fixo original ---

NOTÍCIAS LITERÁRIAS: Stephenie Meyer diz ter superado a saga “Crepúsculo” e causou tumulto nas redes sociais

Pois é.  Foi quase uma manifestação virtual cheia de raiva no coração quando a tal manchete foi divulgada. Eram fãs da saga Crepúsculo lamentando e os tais adeptos do ódio pela série falando maldades da autora por ela ter feito um inocente comentário de que gostaria de escrever sobre outros mundos, como a Terra Média. E fãs de J. R. R. Tolkien revoltados com tamanha ousadia.

Antes que os comentários comecem por aqui, que tal entender o que aconteceu? O site da revista americana Variety postou uma entrevista com Meyer nessa terça-feira, dia 13 de agosto. O foco da matéria era que a escritora mencionasse o seu novo trabalho como produtora. Apesar de já ter ajudado a produzir dois dos filmes de seu primeiro romance, dessa vez ela está trabalhando em “AustenLand”  que não é de sua autoria. Mas em determinado momento o repórter Dave McNary faz a seguinte pergunta:


DM: Is the door completely closed on that?
SM: Not completely. What I would probably do is three paragraphs on my blog saying which of the characters died. I’m interested in spending time in other worlds, like Middle-Earth.

Até quem não entende lá muito bem inglês, como eu, consegue ver que em momento algum Stephenie Meyer disse que gostaria de escrever alguma coisa usando o mundo criado por J. R. R. Tolkien e seus respectivos personagens. Nem ao menos de que plagiaria a obra.  Fica claro que a autora não está mais interessada em passar seu tempo criando histórias do mundo de Edward e Bella, mas, sim, em outros mundos. E para exemplificar seu comentário citou a Terra-Média, o que não exclui outros universos fantásticos. E também não significa necessariamente escrever sobre o mundo de Froddo e Bilbo.

Então, queridos fãs, acalmem seus ânimos e releem o trecho.  Eu, sinceramente, acredito que muita gente leu a partir da matéria feita pelo jornal Folha de São Paulo e acabaram confundindo o comentário. Vamos aprender a interpretar texto?

Na matéria do jornal brasileiro eles fazem o seguinte comentário:

Meyer ainda descartou voltar a escrever sobre os personagens de "Crepúsculo".
"O que eu poderia fazer é preparar três parágrafos no meu blog dizendo quais personagens morreram. Estou interessada em passar tempo em outros universos, como a Terra-Média", declarou, em referência ao mundo fantástico criado por J. R. R. Tolkien (1892-1973) em "O Senhor dos Anéis".

Jornalista que é jornalista tem a missão de informar. Apesar de Tolkien ser uma referência no mundo literário, não são todos que leram e conhecem o mundo criado por ele.  Por isso, aqui, o jornalista tem a obrigação de esclarecer o comentário de Meyer, dizendo o que é exatamente “Terra –Média”. E a partir daí, acredito que começou a confusão que gerou até comentários raivosos do tipo: "Não acredito que a Stephenie Meyer vai escrever em cima da obra de Tokien. Ela vai estragar tudo!".

Vamos dar um pouco de crédito para autora, que tal? Ela pode não ter acertado em cheio em Crepúsculo, mas com certeza atingiu o público que gostaria (adolescentes loucas por um romance e que amam criaturas fantásticas).  E é MUITO visível o seu amadurecimento em A Hospedeira! Todo profissional deve buscar seu crescimento e aperfeiçoamento. Vai que ela acaba escrevendo uma grande história? Eu não sou fanzassa da autora, mas acho que ela merece seu crédito por saber voltar a sua escrita para o público que quer atingir.

CONVERSATION

3 comentários:

  1. Olá
    Te indicamos para o Selo – The Versatile Blogger Award
    Para conferir é só dar uma passadinha em:
    http://blogdasgemeas.wordpress.com/2013/08/19/selo-the-versatile-blogger-award/

    Beijos das Gêmeas

    ResponderExcluir
  2. Indiquei você pra uma tag lá no blog, da uma olhadinha? :)
    http://aestanteparalela.blogspot.com.br/2013/08/tag-blog-literario.html

    ResponderExcluir
  3. Pois é, Stephenie não é só Crepúsculo. Eu amo o livro A Hospedeira. Já o re-li umas 3 vezes.

    ResponderExcluir

Voltar
ao topo